quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

CENA METAL CARIOCA – Parte 5

CENA METAL CARIOCA – Parte 5   
  
Chegamos na quinta parte da matéria e estamos chegando quase ao fim de uma matéria onde tentamos mostrar um pouco do que anda rolando pelo Rio de Janeiro, mostrando alguns grupos cariocas promissores e até mesmo alguns deles que mesmo que possuem mais tempo de atividade no cenário e que mesmo com hiato de suas atividades, estão de volta e mostrando que ainda possuem muito “sangue nos olhos”.
 Seguem mais algumas bandas que estão atuando no cenário:
           
PROPHECY
O Prophecy é uma banda veterana suas origens na banda “Bíblia negra”. Rogério, guitarrista e vocalista do grupo, leva a banda a frente, e agora contando com uma nova formação. Possuem um disco gravado chamado “Legions of Violence” e chamaram bastante atenção da mídia na divulgação desse trabalho, porém, mudanças na formação fizeram com que o grupo chegasse a encerrar suas atividades. Recentemente eles abriram o show do Testament no Rio de Janeiro.




FIREHEAT
Bu Bolzan e Glauco primo não são unidos apenas pelo casamento, como também formam uma bela dupla no palco desde os tempos do grupo Carpensarem. Bruna chegou a cantar por pouco tempo no Melyra, mas se juntou a Glauco para montarem mais um excelente grupo. Aliás, Ana, baterista do Melyra, e Edu Gomes (baixo) completam o time. Apesar de fazerem um som pesado, existe um flerte com o pop, como eles já demonstraram em alguns covers. Se intitulam como “Scary Rock”, algo como um estilo que possuem temáticas assustadoras em sua música.

(foto:Gabriel Peres)


PAGAN THRONE
O Pagan Throne é uma banda carioca que se inspira em grupos como Marduk e Immortal e se denominam como “Pagan Black Metal”. Acompanhando o trabalho da banda pelas redes sociais, vejo que o grupo faz mais shows fora do Rio do que em sua cidade, e seja aqui ou fora, a aceitação odo seu trabalho é excelente.

(foto: beto Padilha)


LAND OF TEARS

Liderados por Robson Souto, músico oriundo da Zona Oeste do Rio de Janeiro, o Land of Tears está gravando um novo trabalho, porém, já possui um bom currículo na estrada. Citam como influência em sua música,  bandas como: Benediction, BoltThrower, Hipocrisy, Gore Fest, Unleashed, Six Feet Under, Morbid Angel, sendo assim, o Death mais tradicional da década de 90.





DARK SLUMBER
Conheci o som do dark Slumber quando toquei em Volta Redonda e vi mais recentemente a apresentação desse grupo de Volta Redonda e de quanto o grupo evolui a longos passos em um Death Metal de primeira.




EROS
Assim com o Prophecy, O Eros é outra banda carioca bem antiga. Possuem um disco gravado, mas ficaram um bom tempo parados, precisamente 22 anos. Themys Barros, guitarrista e vocalista do grupo, também produtor de eventos, leva o grupo a frente, que agora conta com Gabriel barros (baterista e filho de Themys), Raphael Marins (guitarra) e Thomas Abrantes (baixo e também integrante do Monstractor).




2 comentários:

  1. Grande safras de banda, só bandaço. Como eu disse, nossa cena não fica nada a dever pra internacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não fica, acho que nunca ficou, mas carece de um amor próprio vindo do próprio Brasileiro em gostar do que faz.

      Excluir

SAXON e sua fase mais clássica.

SAXON em sua fase mais clássica. Quando menciono fase clássica do  Saxon , isso também não significa que o que veio depois seja ruim, p...